Teorias de Aprendizagem

 

 Neste tópico, serão apresentados alguns conceitos introdutórios das teorias de aprendizagem, que é um subconjunto da Ciência Cognitiva. Este estudo da evolução das teorias da psicologia da aprendizagem, chamada de ciência do comportamento humano, tem como objetivo principal mostrar a importância destas teorias na Ciência Cognitiva.

Segundo Gardner (1996, p.20), “Atualmente, a maioria dos cientistas cognitivas é proveniente das fileiras de disciplinas específicas – em especial, da filosofia, da psicologia, da inteligência artificial, da lingüística, da antropologia e da neurociência (Eu me referirei a essas disciplinas conjuntamente como ‘Ciências Cognitivas’).”

É importante compreender o modo como as pessoas aprendem e as condições necessárias para a aprendizagem, bem como identificar o papel de um professor, por exemplo, nesse processo. Estas teorias são importantes porque possibilita a este mestre adquirir conhecimentos, atitudes e habilidades que lhe permitirão alcançar melhor os objetivos do ensino.

Na aprendizagem escolar, existem os seguintes elementos centrais, para que o desenvolvimento escolar ocorra com sucesso: o aluno, o professor e a situação de aprendizagem.

As teorias de aprendizagem buscam reconhecer a dinâmica envolvida nos atos de ensinar e aprender, partindo do reconhecimento da evolução cognitiva do homem, e tentam explicar a relação entre o conhecimento pré-existente e o novo conhecimento. A aprendizagem não seria apenas inteligência e construção de conhecimento, mas, basicamente, identificação pessoal e relação através da interação entre as pessoas.

Os ambientes computacionais destinados ao ensino devem trazer à tona fatores pertinentes à mediação humana através da tecnologia. As teorias de aprendizagem têm em comum o fato de assumirem que indivíduos são agentes ativos na busca e construção de conhecimento, dentro de um contexto significativo. Na Tabela 3.1, encontram-se resumidas as características de algumas das principais teorias de aprendizagem.

 

Teorias de Aprendizagem

Características

Epistemologia Genética de Piaget

Ponto central: estrutura cognitiva do sujeito. As estruturas cognitivas mudam através dos processos de adaptação: assimilação e acomodação. A assimilação envolve a interpretação de eventos em termos de estruturas cognitivas existentes, enquanto que a acomodação se refere à mudança da estrutura cognitiva para compreender o meio. Níveis diferentes de desenvolvimento cognitivo.

 

Teoria Construtivista de Bruner

O aprendizado é um processo ativo, baseado em seus conhecimentos prévios e os que estão sendo estudados. O aprendiz filtra e transforma a nova informação, infere hipóteses e toma decisões. Aprendiz é participante ativo no processo de aquisição de conhecimento. Instrução relacionada a contextos e experiências pessoais.

Teoria Sócio-Cultural de Vygotsky

Desenvolvimento cognitivo é limitado a um determinado potencial para cada intervalo de idade (ZPD); oindivíduo deve estar inserido em um grupo social e aprende o que seu grupo produz; o conhecimento surge primeiro no grupo, para só depois ser interiorizado. A aprendizagem ocorre no relacionamento do aluno com o professor e com outros alunos.

Aprendizagem baseada em Problemas/ Instrução ancorada
(John Bransford & the CTGV)

Aprendizagem se inicia com um problema a ser resolvido. Aprendizado baseado em tecnologia. As atividades de aprendizado e ensino devem ser criadas em torno de uma “âncora”, que deve ser algum tipo de estudo de um caso ou uma situação envolvendo um problema.

Teoria da Flexibilidade Cognitiva (R. Spiro, P. Feltovitch & R. Coulson)

Trata da transferência do conhecimento e das habilidades. É especialmente formulada para dar suporte ao uso da tecnologia interativa. As atividades de aprendizado precisam fornecer diferentes representações de conteúdo.

Aprendizado Situado (J. Lave)

Aprendizagem ocorre em função da atividade, contexto e cultura e ambiente social na qual está inserida. O aprendizado é fortemente relacionado com a prática e não pode ser dissociado dela.

Gestaltismo

Enfatiza a percepção ao invés da resposta. A resposta é considerada como o sinal de que a aprendizagem ocorreu e não como parte integral do processo. Não enfatiza a seqüência estímulo-resposta, mas o contexto ou campo no qual o estímulo ocorre e o insight tem origem, quando a relação entre estímulo e o campo é percebida pelo aprendiz.

 

Teoria da Inclusão (D. Ausubel)

O fator mais importante de aprendizagem é o que o aluno já sabe. Para ocorrer a aprendizagem, conceitos relevantes e inclusivos devem estar claros e disponíveis na estrutura cognitiva do indivíduo. A aprendizagem ocorre quando uma nova informação ancora-se em conceitos ou proposições relevantes preexistentes.

Aprendizado Experimental (C. Rogers)

Deve-se buscar sempre o aprendizado experimental, pois as pessoas aprendem melhor aquilo que é necessário. O interesse e a motivação são essenciais para o aprendizado bem sucedido. Enfatiza a importância do aspecto interacional do aprendizado. O professor e o aluno aparecem como os co-responsáveis pela aprendizagem.

Inteligências múltiplas (Gardner)

No processo de ensino, deve-se procurar identificar as inteligências mais marcantes em cada aprendiz e tentar explorá-las para atingir o objetivo final, que é o aprendizado de determinado conteúdo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livros e publicações:

EYSENCK, Michael W.;KEANE, Mark T. Cognitive psychology: a student’s handbook.United Kingdom: British Library Cataloguing in Publication Data, 1994.

POZO, Juan Ignácio. Teorias Cognitivas da aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

STENBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 2000.

STILLINGS, Neil A. Cognitive Science: an introduction. Cambridge: Massachusetts Institute of Technology, 1989.

TOVAR, Sônia Maria; ROSA, Marilaine Bauer da Silva Santa.(ORG) Psicologia da aprendizagem. Rio de Janeiro: Agua-Forte, 1990.

Links:

http://www.geocities.com/celitaparreiras/cond.htm

Página da professora Maria Celita de Oliveira Parreiras da Universidade de Itaúna sobre “Formação docente e capacitação continuada”. Possui explicações sobre algumas teorias da aprendizagem.

http://www.eps.ufsc.br/disserta98/ribeiro/

Contém a dissertação de Cassandra Ribeiro de Oliveira e Silva, “Bases pedagógicas e ergonômicas para concepção e avaliação de produtos educacionais informatizados”, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina para obtenção do grau de Mestre em Engenharia de Produção em Julho de 1998.

http://www.gsu.edu/~dschjb/wwwmbti.html

“GSU Master Teacher Program: On Learning Styles”, página em inglês sobre os diferentes estilos de aprendizagem.

http://tip.psychology.org/

“Explorations in Learning & Instruction: The Theory Into Practice Database”. Página em inglês com resumos das 50 maiores teorias de aprendizado e instrução, além de explicações sobre outros assuntos realcionados ao aprendizado.

http://www.infed.org.uk/thinkers/

“Infed.org, the home of informal education.” Página em inglês com resumos das contribuições dos principais pensadores, além de exemplos de seus trabalhos, detalhes da biografia e links para outros websites.

http://www.infed.org/biblio/b-learn.htm

“Infed.org, the home of informal education.” Página em inglês sobre aprendizado, que fala, entre outros temas, sobre os modelos de aprendizado.

http://www.emtech.net/learning_theories.htm#Subsumtion1

Material do curso de “Inteligência Artificial e Educação” da professora Heloisa Vieira da Rocha da Unicamp.

http://mathforum.org/mathed/constructivism.html

Página sobre educação matemática, voltada para aplicação do construtivismo na sala de aula. Contém vários artigos e explicações de temas relacionados.

http://www.emtech.net/learning_theories.htm

Página sobre as teorias de aprendizagem, com vários links para cada uma delas.

http://www.nwlink.com/~donclark/hrd/learning/development.htm

“Developing Instruction or Instructional Design”. Página em inglês que fala sobre cinco teorias de aprendizagem, entre elas o construtivismo e as condições de aprendizado de Gagné.

http://www.emtech.net/construc.htm

Página sobre o construtivismo e o instrucionismo, com vários links para sites relacionados.

 

 

(Visited 5 times, 1 visits today)

Author: O Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *