Teoria Bioecológica de desenvolvimento humano na perspectiva de Urie Bronfenbrenner

 A interacção da pessoa com o ambiente é caracterizada pela reciprocidade. A pessoa em desenvolvimento molda-se, muda e recria o meio no qual se encontra. O ambiente também exerce influência no desenvolvimento da pessoa, sendo este um processo de mútua interacção (Bronfenbrenner, 1979/1996). Urie Bronfenbrenner concebe o ambiente ecológico como uma série de estruturas encaixadas, em que cada peça contém ou está contida noutra.

 

Os contextos de desenvolvimento: micro, meso, exo e macrossistemas

 

  1. O microssistema

Segundo a definição apresentada por Bronfenbrenner (1979/1996), microssistema “é um padrão de actividades, papéis e relações interpessoais experienciados pela pessoa em desenvolvimento num dado ambiente com características físicas e materiais específicas” (p. 18). Trata-se, portanto, de um ambiente ou local onde o indivíduo pode estabelecer interacções face a face, como, por exemplo: a família, a escola, a creche, a universidade, a instituição, a depender da situação de vida de cada um.

Os elementos que influenciam o desenvolvimento psicológico, são as actividades, os papéis e as relações interpessoais.

 

  1. O Mesossistema

 

Este sistema tem a ver com as inter-relações entre os contextos em que o indivíduo participa activamente, tais como a inter-relação da família com a escola e a Igreja. As forças do mesossistema são originadas nas inter-relações de dois ou mais ambientes em que a pessoa em desenvolvimento participa activamente.

Para efeitos de desenvolvimento humano, pressupõe-se que os ambientes microssistêmicos que compõem o mesossistema devem comunicar-se, ou seja, toda a informação ou mensagem deve ser intencionalmente transmitida de um ambiente para outro. Essas comunicações interambientais podem ocorrer de forma unilateral ou bilateral, dependendo das características e condições dos ambientes em que os comunicantes se encontram.

 

  1. O exossistema

 

Diz respeito a um ou mais ambientes que não envolvem a pessoa em desenvolvimento como um participante activo. No exossistema, ocorrem eventos que afectam, ou por eles são afectados, os fatos que acontecem no ambiente que contém a pessoa em desenvolvimento, como, por exemplo, o local de trabalho dos pais ou a sala de aula de um irmão mais velho. Esses efeitos, geralmente, seguem uma sequência causal que primeiramente conecta os efeitos externos dos ambientes aos processos microssistêmicos da pessoa em desenvolvimento.

 

  1. O macrossistema

Se refere à consistência observada dentro de uma dada cultura ou subcultura na forma e conteúdo de seus micro-, meso- e exossistemas constituintes assim como a qualquer sistema de crença ou ideologia subjacente a estas consistências. o macrossistema difere do exossistema pelo fato de não se referir a contextos específicos, mas a protótipos gerais que existem nas diferentes culturas e afectam ou determinam o complexo de estruturas e actividades ocorrentes nos níveis mais concretos. Têm a ver com valores, crenças, maneiras de ser ou fazer, hábitos, estilos e formas de viver características de determinadas sociedades ou culturas, veiculados ao nível dos subsistemas.

O macrossistema pode ainda ser definido tanto como o esquema, organização ou mapa real e ideal dos ambientes ecológicos ou “mundo” das pessoas em desenvolvimento.

 

Actualização do modelo ecológico em bioecológico

 

Bronfenbrenner critica a si mesmo e sua teoria ecológica quanto ao excesso de ênfase nos contextos de desenvolvimento em detrimento das pessoas em desenvolvimento.

A partir destas reflexões, os autores propõem o modelo bioecológico, no qual, entre outras considerações teóricas, reconfiguram as propriedades da pessoa e os processos de desenvolvimento. Como apontado no modelo ecológico, o desenvolvimento é um processo que se dá na interacção da pessoa com o ambiente em que ela vive, bem como pelas relações entre os contextos mais amplos. O modelo bioecológico apresenta a proposta de estudar com mais detalhes as características biopsicológicas da pessoa em desenvolvimento concebidas em constante movimento processual.

Para que o desenvolvimento ocorra, é necessário que a pessoa esteja inserida em uma actividade; a dita interacção nesta actividade deve acontecer efectiva, regular e reciprocamente, através de períodos prolongados de tempo; a actividade deve ainda ser progressivamente mais complexa; e os objectos e símbolos presentes no ambiente imediato devem estimular a atenção, a exploração, a manipulação e a imaginação da pessoa em desenvolvimento.

No que tange às características bioecológicas das pessoas, segundo Bronfenbrenner & Morris (1998) o desenvolvimento humano é moldado por três tipos de elementos:

  • Disposições: movimentam e sustentam os processos proximais;
  • Recursos: habilidades, experiências, conhecimentos requeridos para o funcionamento efectivo dos processos proximais nos diferentes estágios de desenvolvimento;
  • Demanda: convidam ou desencorajam reacções do ambiente social, que favorecem ou não a operação dos processos proximais.

 

 

Referências bibliográficas

 

  • BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
  • BRONFENBRENNER, U. & MORRIS, P. A. The ecology of developmental process. In: LERNER, R. M. (Org.). Handbook of child psychology: Theoretical models of human development. 5. ed., 1998, p. 993-1028.
  • BRONFENBRENNER, U. The ecology of human development. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1979.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Author: O Exame

2 thoughts on “Teoria Bioecológica de desenvolvimento humano na perspectiva de Urie Bronfenbrenner

  1. Bom, de facto esta e uma abordagem muito interessante, pois este permite nos saber de que maneira o desenvolvimento humano e como o ambiente influencia no desenvolvimento do ser humano segundo urie. Parabens pela abordagem doctor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *