Características do Processo de Ensino e Aprendizagem (PEA)


 1.      Introdução

O presente trabalho tem em vista fazer uma abordagem das características do Processo de Ensino-Aprendizagem e ao trazer estas características e suas relações nos remete a uma concepção de que o processo de ensino-aprendizagem tem uma estrutura e um funcionamento contínuo, isto é, está composto por elementos estreitamente inter-relacionados.

A eficácia do processo de ensino-aprendizagem está na resposta em que este dá à apropriação dos conhecimentos, ao desenvolvimento intelectual e físico do aluno, à formação de sentimentos, qualidades e valores, que alcancem os objectivos gerais e específicos propostos em cada nível de ensino de diferentes instituições, conduzindo a uma posição transformadora, que promova as acções colectivas, a solidariedade e o viver em comunidade.

2.      Contextualização

Aprendizagem

Hilgard apud CAMPOS, 1987 define a aprendizagem como um processo pelo qual uma actividade tem origem ou é modificada pela reacção a uma situação encontrada, desde que as características da mudança de actividade não possam ser explicadas por tendências inatas de respostas, maturação ou estados temporários do organismo.

Coelho e José (1999) definem aprendizagem como o resultado da estimulação do ambiente sobre o indivíduo já maduro, que se expressa, diante de uma situação-problema, sob a forma de uma mudança de comportamento em função da experiência.

 Ensino

A primeira concepção de ensino citada por Saint-Onge (1999) é a de que “ensinar é transmitir seus conhecimentos”, uma das concepções mais comuns e que limita a compreensão do trabalho do professor. Se esta concepção fosse de todo válida, não existiriam problemas pedagógicos, pois bastaria que o professor proclamasse todo o seu saber para que os alunos tivessem um aprendizado efectivo, e a única condição para a eficácia do ensino estaria no domínio do conteúdo por parte do professor. Neste contexto, o que veria-se, na prática, seria apenas o amplo conhecimento do professor, mas talvez nenhum conhecimento sendo produzido por parte do aluno.

Apesar de esta concepção de ensino ainda estar viva em alguns professores, de acordo com Saint-Onge, já demonstrou-se que apenas o conhecimento do conteúdo a ser ensinado não assegura que este conhecimento se desenvolva nos alunos, ou que deixa explícito que apenas a exposição do próprio saber do professor não é suficiente para que haja a aprendizagem, e cada vez mais, ensinar vem se tornando um processo de relacionamento entre pessoas, no qual há a construção do próprio saber, uma relação que faz aprender. Esta concepção de ensino considera que tudo o que é ensinado, é ensinado a alguém que aprende. Em outras palavras, não há ensino onde não há aprendizagem, e este processo é muito mais complexo do que o simples enunciado de próprios conhecimentos. Esta relação existente deve activar o processo de aprendizagem em função de capacidades a serem adquiridas.

3.       Características do Processo de Ensino e Aprendizagem

Segundo Libâneo (1990:79), devemos entender o processo de ensino como o conjunto de actividades organizadas do professor e dos alunos, visando alcançar determinados resultados (domínio de conhecimentos e desenvolvimento das capacidades cognitivas), tendo como ponto de partida o nível actual de conhecimentos, experiências e de desenvolvimento mental dos alunos.

O processo de ensino-aprendizagem é uma actividade específica que se distingue pelas suas características próprias. Assim, dentre outras características, apresenta as seguintes:

ü  Carácter social

ü  Carácter educativo

ü  Desenvolve a personalidade

ü  Carácter dialéctico

ü  Carácter sistemático e planificado

ü  Regido por leis que se exprimem em regularidades

De modo a facilitar a descrição detalhada de cada característica do PEA, apresento a tabela a seguir.

 

Características do pea

DESCRIÇÃO

I.

Carácter Social

ü  Aquisição ou apropriação do património sócio cultual, técnico e cientifico da sociedade pela jovem geração conteúdo do ensino -aprendizagem;

ü  Formação da jovem geração de acordo com as exigências e necessidades de sociedade;

ü  Formação visando a socialização e integração de cada membro da jovem geração.

II.

Carácter Educativo

ü  Relação indissociável e/ou dialéctica entre instrução – educação no ensino;

ü  Aquisição de conhecimentos, desenvolvimento de habilidades, desenvolvimento de valores/ atitudes e  formação de qualidades.

III.

Desenvolve a Personalidade

ü  Vários domínios do saber;

ü  Dimensões do desenvolvimento do aluno, individual, comunitária e ecológica.

IV.

Carácter Dialéctico

Carácter Dialéctico – é um processo dinâmico onde ocorrem contradições como forças motrizes para o desenvolvimento:

ü  Exigências do PEA como motor do desenvolvimento do aluno e do professor;

ü  Exigências do PEA caracterizadas pelas contradições entre querer e poder, nível actual e realização das tarefas de ensino – aprendizagem.

ü  PEA como movimento contínuo, cumulativo que resulta na qualidade de aprendizagem.

V.

Rígido por Leis e Regularidades

ü  Aquisição e formação de conceitos como processo gradual observância do desenvolvimento ontogénico;

ü  Observância de leis: Psicológicas e de aprendizagem, sociológicas, políticas, higiénicas na realização do PEA.

Regido por Leis que se exprimem por regularidades

  • Regularidades do desenvolvimento social;
  • Regularidades do desenvolvimento fisiológico;
  • Regularidades do conhecimento da lógica da didáctica;

            VI.       Planificado e Sistemático

ü  Realização do PEA como base no currículo, planos de estudos, programas das disciplinas;

ü  Organizações do sistema de ensino de em classes anuais;

ü  Organizações de horários e calendários.

 4.       Conclusão

Com este trabalho concluí que o Processo de Ensino-Aprendizagem envolve o uso e o desenvolvimento de todos os poderes, capacidades e potencialidades do homem, tanto físicas quanto mentais e afectivas. Isto significa que a aprendizagem não pode ser considerada somente um processo de memorização, tão-pouco que emprega apenas o conjunto das funções mentais ou unicamente os elementos físicos ou emocionais, pois todos estes aspectos são necessários.

Para que a aprendizagem provoque uma efectiva mudança de comportamento e amplie cada vez mais o potencial do educando, é necessário que ele perceba a relação entre o que está aprendendo e a sua vida, ou seja, o sujeito precisa ser capaz de reconhecer as situações em que aplicará o novo conhecimento ou habilidade.

5.       Bibliografia

  • CAMPOS, D. M. de S. Psicologia da aprendizagem. Petrópolis: Vozes, 1987.
  • COELHO, M. T; JOSÉ, E. A. Problemas de aprendizagem. São Paulo: Ática, 1999.
  • LIBÂNEO, J.C. Didática. São Paulo. Cortez Editora, 1990.
  • NIVAGARA, D. D. Didáctica Geral: Aprender a Ensinar, Universidade Pedagógica, Sd.
  • SAINT-ONGE, Michel. O ensino na escola: O que é? Como se faz? Edições Loyola: São Paulo, 1999.
(Visited 101 times, 1 visits today)

Author: O Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *